Carta a uma pessoa insegura

terça-feira, 14 de outubro de 2008

| | |
Você esfriou.
Era quente e ficou morno;
Era valente, agora teme;
Era seguro, agora duvida.
Morno.
Morno eu não quero.
Não vou mais admitir nada morno na minha vida. Nem você.
Eu admito as falhas, os defeitos e as coisas irritantes. Mas que todas sejam quentes.
Quero o sim ou o não. Mas que seja o todo.
Chega de mediocridades.

2 comentários:

Alcides disse...

"Morno eu não quero"
"Quero o sim ou o não. Mas que seja o todo"

Eu só confirmo!

Beijos!
Alcides

_TaTHa_ disse...

ADOREI!!!!!!!!!!
O retrato do quotidiano.
Por que as pessoas têm (agora nem teremos mais esse acento, né...rs) tanto medo de assumir uma postura, seja ela positiva ou negativa.
Têm tanto medo de se mostrar de revelar de bater o pé de lutar por aquilo que quer... não, simplesmente fica na média.
Não creio que possa existir algo mais impessoal que uma coisa medíocre/média.
AFF! Na média... ou ama ou odeia, ou é doce, ou é salago... aquela coisa insossa.
Como sempre, muito bom seu texto
Bjaaaum
=)