Poema de Natal

sábado, 25 de dezembro de 2010

| | | 2 comentários
Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados
Para chorar e fazer chorar
Para enterrar os nossos mortos —
Por isso temos braços longos para os adeuses
Mãos para colher o que foi dado
Dedos para cavar a terra.
Assim será nossa vida:
Uma tarde sempre a esquecer
Uma estrela a se apagar na treva
Um caminho entre dois túmulos —
Por isso precisamos velar
Falar baixo, pisar leve, ver
A noite dormir em silêncio.
Não há muito o que dizer:
Uma canção sobre um berço
Um verso, talvez de amor
Uma prece por quem se vai —
Mas que essa hora não esqueça
E por ela os nossos corações
Se deixem, graves e simples.
Pois para isso fomos feitos:
Para a esperança no milagre
Para a participação da poesia
Para ver a face da morte —
De repente nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem; da morte, apenas
Nascemos, imensamente.

(Vinicius de Moraes)

Profissional do ano

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

| | | 2 comentários
É um orgulho ter o nome indicado para Premio "Profissional do Ano" na APP Limeira/SP
E para levar o "caneco", a equipe de criação da agência montou um anúncio da campanha eleitoral.





=)

DESVASTADO

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

| | | 6 comentários


Agora é tarde, o tempo passou!

O que era fogo, apenas em brasa ficou

A paixão nasceu, aqueceu e devastou

Não foi alimentada e não vingou

Resta então, o nada

o desmatamento,

o sofrimento,

De um amor que acabou


=)

FRASE DO DIA...

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

| | | 4 comentários
"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada...
Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas.
A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..."
(Clarice Lispector)

Quase nada

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

| | | 0 comentários
Às vezes me pego pensando em como e porque as pessoas cruzam nosso caminho.
E que muitas vezes vejo que algumas apenas cruzam, como ruas perpendiculares.
Outras, como um entroncamento (Y), cruzam e seguem juntas.
E há ainda aquelas que seguem em caminhos sinuosos, ora cruzam, ora seguem, ora cruzam...
Ontem ouvindo "quase nada", o estalo!








De você sei quase nada
Pra onde vai ou porque veio
Nem mesmo sei
Qual é a parte da tua estrada
No meu caminho
Será um atalho
Ou um desvio
Um rio raso
Um passo em falso
Um prato fundo
Pra toda fome
Que há no mundo
Noite alta que revele
Um passeio pela pele
Dia claro madrugada
De nós dois não sei mais nada
De você sei quase nada
Pra onde vai ou porque veio
Nem mesmo sei
Qual é a parte da tua estrada
No meu caminho
Será um atalho
Ou um desvio
Um rio raso
Um passo em falso
Um prato fundo
Pra toda fome
Que há no mundo
Se tudo passa como se explica
O amor que fica nessa parada
Amor que chega sem dar aviso
Não é preciso saber mais nada


=)

Um novo dia, uma nova pessoa

terça-feira, 9 de novembro de 2010

| | | 0 comentários
Eu, em minhas "andanças" pela net, encontrei esse texto.
Lembrou-me phenix, que a cada dia ressurge mais forte, mais segura, mais madura, mais experiente... E que as mudanças só dependem de nós mesmos.

=)



Hoje é um dia como outro qualquer. Nem mais bonito, nem menos feio... Apenas mais um dia... como outro qualquer.
Hoje eu não sou uma pessoa qualquer! Nem menos bela, nem mais feia... Apenas uma pessoa... não como outra qualquer.
Os dias são todos iguais, diferentes somos nós! Somos nós que damos cor e vida aos dias, que percorremos as suas horas e desenhamos histórias. Quando nos colocamos entre a multidão, notamos nossas semelhanças, mas sabemos exatamente o que nos difere. E quando isso acontece, temos o poder de fazer acontecer, de provocar mudanças e fazer tudo diferente.
Entregar a transformação apenas ao tempo me parece um pouco irresponsável de nossa parte, pois as mudanças ocorrem em nós! E por isso nenhum dia será como o outro, nenhum tempo voltará atrás. Somos nós que sofremos mudanças constantes, mesmo que imperceptíveis, e são elas que reconfiguram a nossa história. Essa é uma das grandes maravilhas da vida: poder renascer a cada dia e escrever um novo capítulo de nossa passagem. Somos fragmentos compondo uma grande obra!
O tempo e o nosso corpo são impiedosos, mas temos o poder do espírito; que bem cuidado permite que esqueçamos as rugas de preocupações, que rejuvenesça o corpo castigado. No espírito estão guardadas todas as fórmulas secretas para que olhemos o tempo com gratidão. Somente um espírito jovem e saudável consegue transformar nosso corpo em verdadeiro templo de riqueza e sabedoria.
Não somos mais como ontem e ontem também não é o nosso hoje. O ontem passou e deixou em nós tudo o que pudemos aproveitar e aprender. E isso o tempo nos oferece sempre: oportunidades! Temos diariamente oportunidade de sermos pessoas melhores, de enxergar a vida como uma história que não se acaba, mas que se transforma a cada mudança nossa. O aprendizado não é à toa! Estamos nos construindo, nos fortalecendo e adquirindo conhecimentos para que no momento certo, compreendamos o sentido de toda essa jornada.
Então, não se desespere ao perceber que o ontem ficou para trás e que ele não voltará mais. Não pense no que você poderia ter feito e não fez. Não se prenda ao passado, jamais! Olhe para o momento presente e comece, desde já, ou retome a sua construção. Use os benefícios do tempo em agradecimento ao aprendizado e faça a sua história. Não pense que a sua história é uma a mais no mundo. Acredite que a sua, somada a tantas outras é que faz com que o tempo crie novas oportunidades... E em cada oportunidade você renasce em mente e espírito.
Hoje não é mais um dia como outro qualquer... Apenas mais um dia... Uma nova chance!
Hoje você não é uma pessoa qualquer... Apenas uma pessoa... Não mais como outra qualquer!

ÚLTIMA VISITA

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

| | | 2 comentários
Dias de ansiedade à espera da visita que não vem,
Do encontro que não aconte
Do desejo que não mais apetece.
Foi tudo reprimido, engolido, escarrado e cuspido
Criou-se um muro de proteção
Para suprir tamanha dor no coração
Está ai a verdade para quem quiser ver...
Um dia te amei, amei em vão
E agora resta apenas as feridas em meu coração

=)

AO MEU GRANDE AMOR

terça-feira, 19 de outubro de 2010

| | | 9 comentários
Estou tão feliz em encontrar você, que mal caibo dentro de mim
Minha contentação é tamanha que irradio alegria aos quatro ventos
Como é gostosa a sensação do manifesto da mais simples forma de felicidade
É o sorriso brota do coração e sobe à face...
Incondicional, puro, limpo e sincero.
Quanto tempo se passou... e mesmo assim, não esqueci o quão bem você me faz.
É você, meu grande amor, que embora tão distante, sempre esteve tão perto.
Presente em meus pensamentos, visitou-me inúmeras vezes apenas em sonhos e durante, tocava suavemente minha alma
Você, meu grande amor, que me ensinou, à duras penas, sob muito sofrimento, que é preciso ter paciência e que quem espera sempre alcança...
Mas é por você e apenas por você que aprendi a ser mais doce,
Compreendi seu controle, aprendi com seu ciúme e aceitei seus defeitos
Respeitei seu espaço, entendi seu comportamento e enxerguei seu jeito de dizer “te amo”
Porque é por você que me coração palpita...
... que meu sorriso se abre
... que meus olhos se iluminam
É você, meu grande amor, que meu corpo deseja
E é no aconchego de seus braços anseio ficar
É por você, e unicamente você que ocupa meus pensamentos
E é você que vou amar!


=)

Encerrando ciclos

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

| | | 2 comentários
Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final…
Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver.
Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos.
Não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram.

Foi despedida do trabalho? Terminou uma relação? Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações?
Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu….
Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó.
Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seus amigos, seus filhos, seus irmãos, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado.

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco.
O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora…

Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem.

Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração… e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos.

Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor.
Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.
Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”.
Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará!

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa – nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade.
Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante.
Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida.
Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Esqueça quem você era, e passe a ser quem é.




Esse texto foi indicação de um amigo.
Foi extraído, na íntegra, do blog
Ao le-lo fiquei pensando....
Entender que um ciclo se findou nem sempre é uma tarefa fácil.
Entender que é necessário terminar A para alançar B nem sempre nos é compreensível e talvez, justamente por não sermos capazes de compreender seja esta uma tarefa tão dolorosa. E angustia que nos causa querer compreende-las e não conseguir é incomensurável. Mais frustante é ainda quando não compreendemos a lei básica da Física: dois corpos não ocupam o mesmo espaço, logo, temos que finalizar A para executar B e ao fazer, temos que tirar A da mesa.
Penso que o "trauma" esteja na palavra FIM.
Então sugiro uma mudança, praticamente um plano diabólico.
Que tal enganarmos a nossa massa cinzenta? (rs)
Ao invés de "encerrado", vamos utilizar "concluído". Desta forma nosso cérebro remete a uma tarefa executada com êxito. (AFF! Isso me lembra checklist corporativo)
Mas se esta é a melhor forma de compreendermos que a nossa tarefa foi concluída, que o ciclo foi concluido, que mais um passo foi dado e que possamos então estar "livres" para cumprir novas tarefas, avançar mais degraus e concluir mais e mais ciclos... que assim seja!
E que venha a próxima tarefa!


=)

Agora está tudo explicado...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

| | | 4 comentários
"Os homens não conseguem desejar a mulher que amam, nem amar a mulher que desejam." (Lacan)


=)

DEVANEIOS - parte II

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

| | | 7 comentários
Devaneios, pensamentos sem nexo?
sem sentido?
soltos no ar e sem conexão
Sinapse!

=)

MEMÓRIAS

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

| | | 0 comentários
Lembro-me como se fosse hoje a primeira vez que nos vimos.
Minhas pernas bambearam, meu coração palpitava, em meu estômago, uma revoada de borboletas e minhas mãos frias e trêmulas entrelaçavam-se às tuas.
O calor subiu-me à face, deixando-me rubra.
Lembro-me de teus trajes e de como me puseste entre teus braços e afagaste-me em teu peito.
Ainda sinto teu perfume.
Ainda lembro-me daquela noite, daquele instante.
Lembro-me de como te desejei...
... de como me entreguei a ti
... de como sofri
... das dores que senti
... de quanto chorei por ti
E agora que tudo acabou e somente o tempo irá sanar essa dor.


=)

DEVANEIO - parte I

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

| | | 2 comentários
As paixões que vivi
As dores que senti
As ilusões que construi
As lições que aprendi...

=)

Pensa em mim

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

| | | 2 comentários



Inspiração dos meus sonhos, não quero acordar
Quero ficar só contigo, não vou poder voar
Por que parar pra refletir se meu reflexo é você?
Aprendendo uma só vida, compartilhando prazer
Porque parece que na hora eu não vou aguentar
Se eu sempre tive força e nunca parei de lutar?
Como num filme, no final tudo vai dar certo
Quem foi que disse que pra ta junto precisa ta perto?
Pense em mim, que eu to pensando em você
E me diz, o que eu quero te dizer
Vem pra cá, pra ver que juntos estamos
E te falar, mais uma vez que te amo
O tempo que passamos juntos vai ficar pra sempre
Intimidade, brincadeiras, só agente entende
Pra quem fala que namorar é perder tempo eu digo
A muito tempo não cresci o que eu cresci contigo
Juntos no balanço da rede, sob o céu estrelado
Sempre acontece, o tempo para quando eu to do seu lado
A noite chega eu fecho os olhos, é você que eu vejo
Como eu queria estar contigo, eu paro e faço um desejo
Pense em mim, que eu to pensando em você
E me diz, o que eu quero te dizer
Vem pra cá, pra ver que juntos estamos
E te falar, mais uma vez que te amo

=)

Carta a um velho amigo

terça-feira, 10 de agosto de 2010

| | | 2 comentários
O Luiz foi alguém que me devolveu a mim. Eu sentia falta dele, porque sentia muito mais a falta de mim.
Meu vazio estava nele, meu silêncio, minha música e minhas poesias. Aliás, poeticamente falando, o período em que estava com ele foi o mais produtivo! Era toda a minha poesia.
Um dia ele disse: "Parece que você precisa de mim para saber quem você é! " E eu disse: "é isso mesmo"!!
Ai como a gente era criança!! Você, vinte e um anos!!! ... Eu, uma pessoa toda perdida.
Você foi tão criança, mas tão criança que me largou por aí, no meio do caminho...A gente sai fazendo cada bobagem nessa vida...
Mas eu lembro de você. Lembro muito bem, aliás, de alguns momentos. Lembro de nós dois caminhando pela Av. Paulista de madrugada, em maio de 2008. Lembro de você ter plantado lá em casa dia 21 de maio de 2008... eu deitei no chão, e você ficou no sofá. Eu estava bem puta naquele dia.
Dia seguinte passamos a madrugada na Paulista. Caminhamos um montão. Falamos "Vende-se PIPOCA" juntos...! Lembro do dia em que você me raptou e me levou à livraria Cultura do Conjunto Nacional. Você disse: "Vou te levar a um lugar que você vai A-D-O-R-A-R". E eu me lembro por onde entramos. Eu me lembro da cena (a minha cara e a minha emoção ao adentrar pela porta mais bonita, a porta com a vista mais fantástica da livraria. eu, b-e-g-e; vc, com cara de feliz)! Entrar ali depois sem lembrar de você demorou um tempo. Lembro de outro dia em que você me raptou para assistir ao Forrobodó. AMEI! - mas fiz cara de "ok".
O que o tempo não faz... sofri tanto sem vc, chorei tanto, mas tanto e agora ok. estamos ok.
Eu me sinto uma velhinha concebendo essas coisas. Uma senhorinha de uns 80 anos. Parece que foi há tanto tempo e isso tudo só tem uns poucos anos. O tempo cura todas as feridas. Graças a Deus!
Lembro do seu trator, lembro de como me fez de idiota e lembro do seu sorriso bobo e mole.
Você deixou uma ferida profunda (na época). E hoje, não tenho sequer a cicatriz. Se não te puxo pela memória, eu nem lembrava de mais nada: nem de nós, nem dos lugares, nem do cheiro. Mas da música sim: Chico Buarque e Gonzaguinha, com certeza! Ah, e também lembro quando vejo gente chata. Mas você ainda ganha deles todos.
Eu sinto saudades de conversar com você. Adoro seu (mau) humor.
Tudo isso foi necessário. Eu precisava de mim. Deus te planejou na minha vida para que eu me conhecesse.
Eu te agradeço Senhor!

Agradeço a você também, sua coisa.

O DESPERTAR

segunda-feira, 26 de julho de 2010

| | | 1 comentários
São 8:30h da manhã de um sábado de primavera. E os primeiros raios de sol adentram pela minha janela. Ao longe, ouço o canto dos pássaros...
E lá fora, o dia parece estar lindo, mas quero mais cinco minutos ao lado dele. Quero sentir o calor da sua pele esquentando a minha; a brisa de sua respiração sussurrando em meus ouvidos; a força de seus braços que me envolvem, me protege e me conforta.
Quero senti-lo em mim, pra mim.
Quero acordar ao seu lado e ver a luz do seu sorriso iluminando minha manhã.
E ao despertar, quero ter a certeza que ele estará ao meu lado.

=)

Cumplicidade

terça-feira, 20 de julho de 2010

| | | 2 comentários
“Olha, eu sei que o barco tá furado e sei que você também sabe, mas queria te dizer pra não parar de remar, porque te ver remando me dá vontade de não querer parar também.
Tá me entendendo? Eu sei que sim.
Eu entro nesse barco, é só me pedir.
Nem precisa de jeito certo, só dizer e eu vou.
Faz tempo que quero ingressar nessa viagem, mas pra isso preciso saber se você vai também.
Porque sozinho, não vou.
Não tem como remar sozinho, eu ficaria girando em torno de mim mesmo.
Mas olha, eu só entro nesse barco se você prometer remar também!
Eu abandono tudo, história, passado, cicatrizes.
Mudo o visual, deixo o cabelo crescer, começo a comer direito, vou todo dia pra academia.
Mas você tem que prometer que vai remar também, com vontade!
Eu começo a ler sobre política, futebol, ficção científica.
Aprendo a pescar, se precisar.
Mas você tem que remar também. Eu desisto fácil, você sabe.
E talvez essa viagem não dure mais do que alguns minutos, mas eu entro nesse barco, é só me pedir.
Perco o medo de dirigir só pra atravessar o mundo pra te ver todo dia.
Mas você tem que me prometer que vai remar junto comigo.
Mesmo se esse barco estiver furado eu vou, basta me pedir.
Mas a gente tem que afundar junto e descobrir que é possível nadar junto.
Eu te ensino a nadar, juro!
Mas você tem que me prometer que vai tentar, que vai se esforçar, que vai remar enquanto for preciso, enquanto tiver forças!
Você tem que me prometer que essa viagem não vai ser a toa, que vale a pena.
Que por você vale a pena.
Que por nós vale a pena.
Remar.
Re-amar.
Amar.”


(crédito: http://nerdbones.wordpress.com/2010/07/18/cumplicidade/)

QUE DOENÇA É ESSA?

sexta-feira, 2 de julho de 2010

| | | 4 comentários
Que tira meu sono
Que dispara meu coração
E que faz suar minhas mãos?
Que doença é essa
Que só me traz você à memória
Que me faz andar nas nuvens
Que dá brilho aos meus olhos
E de repente me joga no poço
Me faz nadar num rio de lágrimas?
Que doença é essa
Que tira minha fome
Que me deixa sem palavras
Que me mata de ansiedade
E que me deixa na saudade?
Que doença é essa
Que aos poucos vai me consumindo
Vai me corroendo
Com quem vou convivendo...


=)

ZONA DE RELEVÂNCIA

segunda-feira, 21 de junho de 2010

| | | 6 comentários
O que antes me parecia absurdo, hoje se tornou tão normal.
Tudo me soa comum e nada mais me impacta.
O tempo passa...
Sensações são vivenciadas
Experiências, adquiridas
Os conceitos mudam
Feridas cicatrizam
Surge um novo horizonte, uma nova maneira de encarar os fatos.
Cria-se uma barreira de proteção e os acontecimentos que antes eram compreendidos como avassaladores, se tornaram irrelevantes.
É como uma placa que você vê todos os dias na rodovia.
Na primeira vez ela lhe impactará; na segunda, uma visão mais analítica da mensagem; na terceira, quarta, quinta (...) seu cérebro já leu o conteúdo e assimilou a placa ao ambiente e ela não irá mais ter o mesmo efeito. Caiu na irrelevância.
Assim é a vida!
Alguns fatos o chocam, alguns valores o abalam e de repente, nada mais faz sentido.
É irrelevante.

=)

Save tonight

quarta-feira, 2 de junho de 2010

| | | 4 comentários


Go on and close the curtains
'cause all we need is candlelight
You and me ... and the bottle of wine
And hold you tonight [ohh]
Well we know I'm going away
And how i wish - I wish it weren't so
So take this wine and drink with me
Let's delay our misery
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
There's a log on the fire
And it burns like me for you
Tomorrow comes with one desire
To take me away [ohh it's true]
It ain't easy to say good bye
Darling please - don't start to cry
'cause girl you know I've got to go [ohh]
And lord i wish it wasn't so
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Tomorrow comes to take me away
I wish that i - that I could stay
But girl you know I've got to go [ohh]
And lord i wish wasn't so
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Save tonight and fight the break of dawn
Come tomorrow - tomorrow I'll be gone
Tomorrow I'll be gone
Tomorrow I'll be gone
Tomorrow I'll be gone
Tomorrow I'll be gone
Save tonight,
Save tonight,
Save tonight,
Save tonight,
Oh thats right
Save tonight - save tonight


=)

JAZZ

sexta-feira, 28 de maio de 2010

| | | 6 comentários


Chicago, inverno de 1940.
Parecia que todas as pessoas já haviam chegado e o show teria seu inicio.
Passava da 1h da manhã, quando a cortina de veludo se abre empurrada por uma luva de cetim. Todo o salão pára para assistir a entrada triunfal
Adentra então uma moça ruiva de cabelos longos, brilhantes e sedosos. Vestia um tomara-que-caia preto, longo, colado as suas curvas generosas. A fenda até o meio de suas coxas conferia ao seu caminhar, sensualidade, num jogo de exibe/esconde.
A cigarrilha, o batom carmim e pele alva eram detalhes à parte.
Ao fundo, os trompetes...


=)

LUA

segunda-feira, 24 de maio de 2010

| | | 2 comentários
De índole romântica
Ela é a lanterna dos apaixonados
Estrela guia da boemia
Musa inspiradora da poesia.


=)

UNIR OS PEDAÇOS

sexta-feira, 7 de maio de 2010

| | | 3 comentários
Cá estou eu sem saber quem eu sou
juntando os cacos e
unindo os pedaços do que restou.
Cá estou eu, questionando os porquês
de gostar tanto de você
Cá estou eu colhendo os destroços
do muro que desmoronou
O mundo caiu...
Vou me recolher
Me refazer
Me recompor
As cartas estão na mesa
O jogo acabou!


=)

RELAÇÕES HUMANAS

quarta-feira, 5 de maio de 2010

| | | 2 comentários
E como são complexas as relações humanas...
Quem as consegue compreender? Quem as vive em sua plenitude sem se importar com o que as pessoas vão pensar, como irão ver, se é que vão entender?
São conceitos, aliás, são os preconceitos que engessam nossos sentimentos, que censuram nossos atos, que nos tacham e nos condenam.
Feliz a pureza da criança, que com sua inocência e curiosidade, aprende vivenciando que colocar o dedo na tomada dói; que correr parece divertido, mas ao cair, machucará o joelhinho; que um beijo da mamãe sara tudo e que o abraço espontâneo é a forma mais sincera de carinho.
O tempo passa...
Crescemos e aprendemos... desaprendemos...
Desaprendemos a amar e as formas de expressão nos escapam entre os dedos; desaprendemos a tolerância e o respeito ao próximo; desaprendemos a importância das relações humanas e que o homem é um animal que vive na coletividade.
Aprendemos a viver em nosso mundo e as nossas preocupações estão focadas em apenas nos proteger.
Proteger do quê? De quem? Por quê?
E a partir do o excesso de “proteção” cria-se uma rígida carapaça e nos tornamos sozinhos e mais individualistas. Somos filhos da sociedade do “eu me basto”, entretanto ficamos aflitos e sem reação quando um tal “amor” nos bate à porta. E as dúvidas ecoam pelas noites em claro:
- e agora, o que fazer?
- como reagir?
- como não me machucar?
- o que fazer?
- arrisco um envolvimento?
- será que vai dar certo?
BaH BaH BaH! Deixe de lado as neuroses da vida moderna.
Permita-se!
Envolva-se!
Viva!
Abra seu coração (e sua mente) para as relações humanas.
Entregue-se de alma limpa e cara lavada.
A vida é cíclica e a cada ciclo, um aprendizado e um novo recomeço.


=)

NÃO SOU O EU QUE VOCÊ VÊ

segunda-feira, 19 de abril de 2010

| | | 4 comentários
Um forte, um rochedo
Firme, destemido, decidido...
Não sou o eu que você vê
Independente, inteligente, coerente
Há um outro eu guardado pra você
Frágil, meigo, doce
Delicado, assustado, apaixonado
Medo e dúvidas, quem não os tem?
Há um outro eu guardado pra você
E protegido em seus braços mostro quem


=)

permitir-se

sexta-feira, 16 de abril de 2010

| | | 3 comentários
Às vezes eu preciso me permitir. É preciso se permitir.
Se saber. Se saber - de saber de si.
Às vezes eu queria cair no mundo. Utilizar as minhas asas. Ser livre. Ser feliz. Decidir por mim. Morar sozinha, usar meu dinheiro para o que bem entender.
Me sinto como numa caixa muitas vezes - e de novo!
Parece que as coisas dependem mesmo de mim.
Parece que as coisas se tornam um ciclo. Ou um circulo - vicioso.
Parece que as coisas sao randomicas.
Eu sou cheia de regras. Eu não me permito experimentar. Viver. Sentir. Nada que não esteja dentro da caixa. Dos meus padroes.
Padroes tolos. Como e quantas vezes eu quis sair deles! Mas quando penso nisso, tudo parece inconsequencia.
Como a vida para as minhas amigas parece simples! E como a minha tem sempre esse monte de "se"...!" Se" dos infernos! Como eu queria viver sem eles!
Algumas vidas parece que sempre correm num fluxo natural. Mas a minha não. A minha vida é como um solo pedregoso: vc precisa sempre ir pisando com cautela. Você tb pode se surpreender com um precipicio logo adiante. O ceu é maravilhoso, as arvores tb. Mas se vc se maravilhar demais com essas divindades, pode pisar em falso, torcer o pé - ou ateh perder o juizo.
Porque comigo é assim: é de perder o juizo. Porque enquanto vc se vislumbra com as divindades, eu mesma não sei bem onde estou e nem para que lado eu quero ir. Caminhar comigo é assim: é estar disposto a correr riscos o tempo todo - e a qualquer momento. Querer caminhar comigo é desejar colocar-se em risco. Eu sou uma trilha. Aquela que vc nunca fez, aquela que vc não conhece e não sabe sequer onde vai dar.
Eu sou exatamente aquela trilha power, que exige muito preparo fisico, persistencia, destemor, força e equilibrio para percorrer.
Do contrario do que muitos pensam ( e é o contrario do que comunico às pessoas), eu não me apego a nada, não me prendo a nada e sou extremamente vulneravel.
Quando se pensa que estou cativa, significa que ainda há muito o que cativar.
Acho que sou selvagem (no sentido de pertencer à selva). Eu sou eu. Assim. E praticamente indomavel.
Sim, eu me calo. Mas é preciso saber que vc não venceu. Eu me calo apenas para manter a social. Nada facil.
Uma rosa cheia de espinhos, talvez.
E se quiser me levar consigo, tem que levar o talo inteirinho tb.
Hoje eu não estou com vontade de fazer nada. Mas estou cheia de compromissos.
Tente me levar.

PRIMEIRO ENCONTRO

quinta-feira, 15 de abril de 2010

| | | 7 comentários
Era início de outono, fazia 21°C naquela noite de céu estrelado e lua cheia.

O inverno é por si só uma estação elegante. E elegância ela tinha. Ah, se tinha!

Bota de cano longo, bico fino e salto alto. Os fios dourados dos cabelos longos e bem escovados destacavam-se sobre o sobretudo preto, que cobria delicadamente todo seu corpo. Abotoado apenas nos primeiros fechos, criou um balanço que assemelhou o casaco a um vestido: ficou sexy. E para deixá-la ainda mais charmosa, a boina preta de veludo vestida diagonalmente, acobertando uma parte do rosto e o cachecol em tons bege, ocre e bordô. Ela estava simplesmente linda e eu ansioso.

Enquanto ela se aproximava para me cumprimentar, apenas a olhava, estava atônito. Não sabia o que falar, ela estava em meus braços. E que perfume...

Fomos jantar.

Na cantina tipicamente italiana, o menu, a música, a decoração, tudo pensado para trazer um pedacinho da Itália até São Paulo. Um ambiente muito aconchegante e agradável, propício para um encontro romântico. Então ela sinalizou um lugar para sentarmos, indicou uma mesa próxima à sacada. Um cantinho discreto e reservado e era exatamente isso que eu precisava para ficar mais próximo dela.

Minhas mãos estavam frias, tamanho nervosismo para conduzi-la à mesa.

O garçom trouxe carta de vinhos e escolhei um Cabernet Suavignon para acompanhar a massa e os molhos. Um vinho encorpado, forte e bastante requintado.

Entre uma taça e outra, tomei coragem para me aproximar e tocá-la. As mãos pálidas, esguias e de unhas bem feitas me encantavam. E como eram macias...

Ao vê-la mastigar fui hipnotizado pelos movimentos de seus lábios romã carnudos e bem desenhados. Queria beijá-la, queria senti-la próxima a mim.

E por um instante, esqueci onde estávamos, era somente ela e eu. Fui me inclinando, inclinando até que meus lábios tocassem os dela...

Meu coração palpitava e em minha face, apenas o sorriso estampava minha alegria.


=)

Ilusión

| | | 2 comentários



Uma vez eu tive uma ilusão
E não soube o que fazer
Não soube o que fazer
Com ela
Não soube o que fazer
E ela se foi
Porque eu a deixei
Por que eu a deixei?
Não sei
Eu só sei que ela se foi

Mi corazón desde entonces
La llora diario
No portão
Por ella
No supe que hacer
Y se me fue
Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque não me deixei tentar
Vivê-la feliz

É a ilusão de que volte
O que me faça feliz
Faça viver
Por ella no supe que hacer
Y se me fue
Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque não me deixei tentar
Vivê-la feliz
Sei que tudo o que eu queria
Deixei tudo o que eu queria
Porque no me dejo
Tratar de hacerla feliz

Porque la deje
¿Por que la deje?
No sé
Solo sé que se me fue

(MARISA MONTE e JULIETA VENEGAS)


=)

INTELIGÊNCIA DE MERCADO

sexta-feira, 9 de abril de 2010

| | | 3 comentários
Até bem pouco tempo atrás, não era possível imaginar que o acesso às informações, de um modo geral, pudesse ser tão simples e chegar a todas as camadas sociais. Se antes apenas a alta cúpula do clero tinha em mãos o conhecimento, hoje vivenciamos a era da informação e não há como discordar de que a internet foi a responsável em nos proporcionar tal facilidade.

A internet nos oferece a possibilidade de intercambiar, praticamente em tempo real, uma superabundância de dados até então impensada. Criamos assim o hábito do consumo compulsivo de informações em incessante busca pelo conhecimento.

Em um mercado cada vez mais competitivo, conhecimento é um fator que representa uma grande vantagem competitiva. Mas de que adianta reter quilômetros de dados se não sabemos para que e como utilizá-los?

É em meio a esse cenário que está a “inteligência de mercado”.

Inteligência de Mercado, também denominada Inteligência Competitiva, nada mais é que o processo de garimpar, analisar e aplicar informações, tanto qualitativas, quanto quantitativas; cujo resultado é o conhecimento sobre a lógica do mercado-alvo e o direcionamento das ações estratégicas a serem adotadas.

De acordo com Alfredo Passos, professor de inteligência competitiva da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), inteligência de mercado não é só pegar informações que estão por aí aos montes e colocá-las em uma planilha. É preciso mostrar como esse cenário afeta a empresa e a dificuldade está justamente na capacidade de convertê-los para informações úteis que servirão de base para a formulação de uma estratégia empresarial à altura do mercado.

E você leitor, deve estar se perguntando, o que isso tem a ver com publicidade?

Tudo! O consumidor moderno não é mais a massa que reage de maneira igual, unificada e previsível. Agora ele é único e essa unicidade permite que cada um se comporte de uma forma, interaja de uma maneira e influencie assim, o mercado.

Não compreender como essa funciona a nova mecânica do consumo e como o mercado reage a esta é perder espaço, é dar chance para que o cliente “visite” seu concorrente. E a tendência daqui para frente é as empresas adotem cada vez mais a comunicação sincronizada de multicanais, através da qual todas as informações e comportamentos do consumidor são analisados em tempo real.

A empresa que estuda minuciosamente o comportamento do seu consumidor tem reais chances de mantê-lo. Para tanto, ou passa a adotar a inteligência de mercado a seu favor, ou passará a rezar para que suas intuições sejam certeiras.

=)

O QUE SINTO POR VOCÊ?

segunda-feira, 5 de abril de 2010

| | | 2 comentários
Diferente dos poetas, não tenho muitas habilidades com as palavras.
Jogar com as letras, organizá-las feito peças em quebra-cabeças para expressar o que sinto por você não é uma das minhas aptidões, mas meus gestos falam por mim. E minhas atitudes acabam me delatando...
Fui pega!
Penso em você e meu coração palpita acelerado como se fosse correr em busca de algo que não sei bem o que é. Que ritmo louco é esse que eu ainda não aprendi a dançar?
As borboletas construíram uma nova morada e agora habitam meu estômago.
Minhas mãos gelam e ao mesmo tempo suam.
É calor? É frio?
Sinto arrepios sob o os 36°C do verão tropical.
É tudo tão simples e direto e ao mesmo tempo tão complexo e rebuscado.
Que linguagem é essa que eu não compreendo?
Que sinais são esses que não consigo decodificar?
E quem consegue?

=)

ALMOÇO DE DOMINGO

segunda-feira, 29 de março de 2010

| | | 2 comentários
Acabei de acordar, ainda estou meio sonolenta.

Já se passam das 10h de uma linda e ensolarada manhã de domingo. Abro a porta do quanto e ao sair sinto o aroma do assado que vem da cozinha e incendeia a casa.

Vou tomar um banho e me arrumar, logo os convidados começam a chegar.

Vestindo apenas o roupão e a toalha enrolada nos cabelos, dirijo-me ao meu quarto. Arrumo rapidamente a cama e coloco os demais objetos em seu devido lugar. Abro a janela para que entrem os raios do sol e a brisa da manhã. E a surpresa: a roseira do jardim está florida, repleta de pencas de rosas vermelhas que colorem o azul do céu ao horizonte.

Ao fundo, ouço barulho de conversa. Os convidados chegaram.

Troco-me rapidamente e vou recepcioná-los.

As pessoas estão chegando e a casa está cheia.

Na sala, os tios conversam e petiscam enquanto aguardam o tão esperado almoço. Na cozinha, vovó e mamãe dão os toques finais ao pernil, e, num descuido, a priminha caçula assalta um pedaço do couro pururuca. (risos)

A mesa está quase toda posta: pratos, talheres, taças e guardanapos...

A comida sai do forno e o aroma toma conta da casa... e dá água na boca daqueles que anseiam pelo momento.

Todos à mesa, é hora da refeição.


=)

MUSICA

quarta-feira, 24 de março de 2010

| | | 10 comentários



Notas, cores e movimentos...
Feche os olhos e apenas sinta
Sinta o ritmo que adentra ao seu corpo
Permita-se envolver-se nas sensações inexplicáveis da música
O sorriso lhe brota à face...
Liberte-o! E com ele, uma vontade incomensurável de dançar
Dance! Ouça a melodia
Vibre com a luz da música
Mexa-se e exale a alegria do som.


=)

Cobiças

quinta-feira, 11 de março de 2010

| | | 4 comentários
Eu queria ganhar bem. Queria ganhar bem e ter conforto. Conforto e uma relação estável. Vejo a Madonna com o Jesus Luz, as tops com seus respectivos, felizes e lindas. A Daniela Sarahyba está resolvida, linda, e grávida. O marido de uma amiga recebeu um aumento. Eu andei de Tucson hoje. Queria que fosse minha. Eu gosto de pessoas bem sucedidas e inteligentes. E bonitas e que tenham papo cabeça. Mas também precisam ter princípios e retidão. Também precisam ter Deus no coração e frenquentar a Igreja. E tem que amar ao Senhor sobre todas as coisas. E precisam ser delicadas e atenciosas. Também gosto de trabalhar. Eu gosto do que eu faço. O que eu faço sou eu. Eu gosto de boa companhia. Mas também amo ficar sozinha. Gosto de shopping. Especialmente os shoppings AAA. Gosto muito de Hagüen Daz. E de perfume caro - o mais caro. Gosto de gente cheirosa. Gosto de gente de bem, de gente que faz o que ama, de gente feliz e resolvida na vida. Isso eh muito bom! Eu quero uma Tucson. E quero estudar na Puc. Amo a Puc. Eu amo ver as casas grandes nos bairros legais. E eu não sei se o que faço é cobiça ou desejo ou ambição - quando contemplo uma casa linda. Eu gosto de pensar no conforto daquelas casas, no cheiro de coisa cara, na rotina de viver nessa segurança. Gosto de conhecer as pessoas e criar laços. Gosto de me relacionar bem. O centroeste me proporciona isso. É otimo! Queria morar sozinha. Queria fazer dinheiro. Queria não ser amarrada a nada, mas só a mim mesma. Hoje eu não me sinto assim: amarrada. Mas livre. Bem livre de mim e independente de qualquer coisa. Isso é ótimo! A pessoa sem princípio não vale nada. Como é que pode? É muito fácil se corromper. Fácil demais. Quero vencer na vida, quero ser feliz! Quero prosperar, quero fazer dinheiro. Eu me encanto fácil. Cobiça... Eu sou um veneno...! Tenho curiosidade para saber o que Deus tem me preparado!... Será que vou ser rica? Uma empresária muito bem sucedida? Uau! Meu sonho!... Viagens, viagens, viagens... A trabalho e a lazer. Muitas viagens. Amo viajar, conhecer lugares, culturas e pessoas. Amo o luxo, o conforto. Mas odeio o desperdício e a futilidade! Gosto de coisas com qualidade - e de pessoas do mesmo jeito. Gosto de gente generosa, solícita, sem preconceitos. Gente dada - mas com limites! Gente gentil. Vou sonhar com a minha Tucson... !

SIMPLESMENTE MULHER

quarta-feira, 3 de março de 2010

| | | 4 comentários
Texto criado para e-mail marketing em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres





Ah, mulher!
Que estuda, que opina
Que trabalha, que fala, que faz!
Doce, guerreira, faceira
Que cuida, que pinta,
Que borda, que afaga e corre atrás
Menina, feminina
Poderosa e fina
Elegante, majestosa
Simplesmente mulher



Cliente: ALJ/ALJoias
Texto: Talitha Benevenuto
Diagramação: Edson Augusto
Aprovação: Odair Zambom


=)

O QUE COMPLETA VOCÊ?

| | | 2 comentários
Dia destes estava conectada no Windows Live, quando vejo um post que dizia assim: “o que completa você?”. A pergunta pareceu-me provocativa, instigante e demandava por uma resposta ampla e filosófica. Fiquei imaginando o que as pessoas responderiam quando perguntadas: “o que completa você?”

Pressuponho que as respostam sejam as mais diversas.

Imaginei que muitas pessoas elencariam bens de consumo grandiosos: carros importados esportivos, mansões magníficas, jato particular, festa de casamento em castelos europeus, passar o resto da vida numa ilha paradisíaca particular com diversos empregados ao bel prazer... Outras, talvez, com sonhos mais simples: concluir os estudos, comprar a casa própria, arrumar um emprego, encontrar o príncipe encantado, casar, ter filhos...

Blá, blá, blá...

E quando tais desejos são alcançados, você está completo?
Sentir-se-á satisfeito? Penso que queira mais, sempre mais, mais e mais. Buscará outros objetivos, traçará novas metas e logo depois, sentirá um profundo vazio: eterna insatisfação humana.

Encaro essa questão por um lado mais subjetivo e mais humano. Penso na realização pessoal pautada em bens intangíveis, em sensações, em vivência e experiências que enchem minha memória, que trazem alegria a minha lembrança, que me fazem rir espontaneamente, que me permitam dançar...

De que adianta um superesportivo conversível, se não pode sentir a sutileza do vento? De que adianta uma mansão grandiosa, se não há amigos e família para encher a sala de jantar? De que adianta o piano, se a música não lhe envolve? De adianta uma casa de campo, se a beleza das flores não lhe encanta, se o cheiro de mato não lhe agrada e se o canto dos pássaros lhe incomodam? De que adianta ter (desejar) tanta e tantas coisas, se o simples escapa entre os dedos.

De que adianta? De que adianta?


=)

TUDO CINZA

segunda-feira, 1 de março de 2010

| | | 2 comentários
E quando tudo lhe parece cinza
As cores lhe faltam aos olhos
A vida não tem mais brilho
Onde está o entusiasmo?
As tarefas do dia-a-dia são um fardo
Tudo perdeu o sentido...
Há uma luz no fim do túnel?
NÃO! Colocaram uma pedra e vetaram a saída.
É um balde de água fria
É o fim do caminho...

=)

ERA UM MUSEU?

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

| | | 2 comentários
Era uma sala grandiosa com pouca luminosidade. A construção aparentava ser muito antiga, com traços arquitetônicos clássicos e luxuosos. Nobreza e requinte eram transmitidos pelas paredes em tom bege; pelo acabamento em gesso trabalhado, recoberto por uma fina pasta dourada e pela pomposa escadaria em madeira de lei, que levaria ao andar superior daquele palacete.

Ele me tomou pelas mãos, acolheu-me confortavelmente entre seus braços e subimos.

Ao final das escadarias, um salão nobre onde estavam harmonicamente expostas peças de grandes artistas: Da Vinci, Monet, Manet, Declacroix, Michelangelo, Rembrandt, Velásquez, Caravaggio, Renoir, Van Gogh, Picasso, Miró, Dalí...

Estava muito frio, a tempestade de neve da noite anterior havia coberto toda a paisagem. E da janela avistava a paisagem branca e gélida.

Novamente, ele segura docemente minhas mãos, chama minha atenção para as obras e discursa com segurança sobre a história e os detalhes de cada quadro, cada escultura

Nunca tinha visto aquele lugar antes.

Assustada, vejo-me em minha cama...



=)

EU TWITTO, TU TWITTAS...

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

| | | 8 comentários
Surge uma nova rede social e a publicidade ganha um novo canal para desenvolver as ações: o Twitter, um microblog que se tornou mania entre os usuários do mundo todo, acaba de se tornar mais uma alternativa para veiculação de publicidade.

“What are you doing?". Foi assim, com uma simples pergunta, que o Twitter invadiu a Internet, em março de 2006. E hoje, mais de 6 milhões de pessoas ao redor do mundo twittam e atendem a essa e outras tantas perguntas o tempo todo.
Os twitteiros postam sobre o que estão lendo, vendo, escrevendo, assistindo, sonhando, falam para onde vão, de onde vieram, o que comem, o que sentem... Mas ultimamente, em suas páginas pessoais, eles também têm indicado produtos, opinado sobre serviços e divulgado promoções.

Cada post, chamado de tweet, não têm mais que 140 caracteres e os usuários escolhem de quem vão receber esses posts tendo como parâmetro o conteúdo gerado pelo following, ou seja, a pessoa a quem se segue.

Com o crescimento de 2.000.000% no número de twitteiros desde que foi criado, twittar é o verbo. E os publicitários estão querendo aprender a conjugá-lo, usando o Twitter como ferramenta de marketing para seus clientes.

A publicidade na nova rede social ainda está em fase experimental, mas algumas empresas já estão se tornando twitteiras, postando na rede, informações sobre novos produtos e promoções.

Fábio Seixas, co-fundador da Camiseteria, uma loja que vende camisetas online, diz que usa o Twitter para ouvir críticas e sugestões dos clientes e respondê-los diretamente. O cliente, estudante de publicidade e twitteiro, Júlio Pio, acha genial a fórmula: “Twittar confere uma ‘cara’ para a empresa”.

Além dos tweets, a imagem de fundo também é uma forma de comunicar e chamar a atenção. E pensando nisso, a Twittad (www.twittad.com) cadastrou usuários interessados em ceder o espaço de 211x484 pixels em suas páginas.

No Twittad, o anunciante escolhe um usuário cadastrado de seu interesse e faz uma proposta. Caso o usuário aceite, ele adiciona a imagem no plano de fundo da sua conta de acordo com o valor e timing negociados, recebendo o valor através do Paypal.

Contudo, o que vale no Twitter é a produção de conteúdo, não apenas a oferta ou a exposição de uma marca. É preciso encará-lo como uma nova mídia, que atende a um novo público, que anseia por novidades, que exige uma nova postura e novos conceitos. Logo, a comunicação, deve ter conteúdo relevante, apelo interativo e dinâmico para poder impactar o novo consumidor.


=)

OBS: Fica o link do meu twitter: www.twitter.com/_tatha_

SOMENTE O TEMPO

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

| | | 2 comentários
E esse mal que ainda me aflige
Essa ferida que ainda me doi
Essa lembrança que não se apaga
A verdade que não sei esconder
Saberei eu, um dia, conviver com tudo isso sem sofrer?
Sem esperar o que não aconteceu?
Sem sentir que não vivenciei?
Sem dar aquilo que não tive?
Somente o tempo há de confortar...
E um dia... tão somente um dia... essa dor há de passar.

=)

REALIDADE AUMENTADA. PRA QUÊ E POR QUÊ?

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

| | | 1 comentários
Se você pensava que objetos pulando para fora da tela e interagindo com humanos eram elementos de filmes de ficção científica, está na hora de mudar seus conceitos. Isso já é possível, real e tem sido largamente utilizado principalmente em campanhas publicitárias ao redor do mundo.

A tecnologia que permite essa nova experiência é a Realidade Aumentada (R.A), definida usualmente como a sobreposição de objetos virtuais tridimensionais, gerados por computador, com um ambiente real, por meio de algum dispositivo tecnológico.

A Realidade Aumentada teve sua origem nas etiquetas de códigos de barras que não estavam mais cumprindo a tarefa de carregar todas as informações necessárias. Por isso, foram criados os códigos 2D (duas dimensões), que permitem o armazenamento de muito mais informações. Os códigos bidimensionais são os responsáveis pela possibilidade de projetar objetos virtuais em uma filmagem do mundo real, melhorando as informações exibidas e expandindo as fronteiras da interatividade. Assim, Realidade Aumentada é a combinação de um código de duas dimensões com um programa de computador.

Atualmente a R.A vem sendo empregada em educação, entretenimento, geolocalização e também na publicidade.

A Sony, gigante do mundo dos eletrônicos e entretenimento, utilizando-se da R.A, prevê o lançamento de um novo bicho virtual chamado EyePet. Lembra-se dos tamagochis, os bichinhos virtuais que fizeram a cabeça de milhões de adolescentes na década de 90? Depois de pouco tempo, eles simplesmente desapareceram, mas os fãs desse tipo de brinquedo podem esperar um novo lançamento. Veja o vídeo:



Com o desenvolvimento das chamadas Novas Mídias e os avanços tecnológicos, as organizações buscam, um posicionamento diferenciado que foca o engajamento do seu público. Uma alternativa para promover os produtos de forma eficiente e atrativa é através da experiência interativa, provocando no usuário a vivência com a marca.

Mais do que uma maneira de fixar uma marca/produto na mente dos consumidores e atender seus anseios, as ações interativas que envolvem entretenimento e informação são maneiras eficientes de se construir uma vivência entre uma marca e o seu target. Nesse contexto, a Realidade Aumentada surge como um recurso gráfico capaz de unir interatividade, entretenimento e informação através de dispositivos online e offline.

Um case que ilustra muito bem a integração das novas mídias e o uso de novas tecnologias é a dos salgadinhos Doritos

A Cubo CC, agência da Pepsico, recebeu o briefing de criar o conceito e a embalagem, além de ajudar a escolher o sabor, de um novo Doritos. “Aproveitamos esta oportunidade e não apresentamos só um produto para eles, mas uma estratégia inteira de comunicação”, conta Roberto Martini, sócio fundador. Assim nasceu o Sweet Chili e sua embalagem com símbolo de realidade aumentada que, ao ser mostrado para a webcam, liberta um Doritos Lover, o monstrinho louco por Doritos. Ele pode ser adicionado ao Orkut, por meio de um aplicativo. Com vida própria, os monstrinhos visitam, aleatoriamente, outros perfis que também tenham Doritos Lovers, criando uma oportunidade para que o consumidor aborde e adicione novas pessoas a sua rede de amigos.



Outro case que também merece destaque é aplicativo do Bradesco para iPhone 3GS, que uni tecnologia de ponta, promove a interação e a prestação de serviço de geolocalização. Tudo isso aliado ao novo posicionamento da marca: presença.

Através da mistura de elementos virtuais em ambientes físicos, o aplicativo informa ao usuário a distância do estabelecimento do Bradesco mais próximo, atualizando os dados conforme mudança de posicionamento. Além disso, o “Presença” funciona como uma bússola (GPS) indicando através de setas os caminhos que o usuário pode seguir para chegar até as agências e caixas eletrônicos mais próximos.



Na era da conexão, os consumidores estão cada vez ativos e a interação destes com as mídias tendem a fortalecer. A integração humana com os aparatos tecnológicos já faz parte do cotidiano. Agora, cabe ao anunciante (e às agências também) utilizar esses recursos de maneira a oferecer uma experiência realmente interessante ao target.





Referências:
• http://newronio.espm.br/index.php/2009/02/02/realidade-aumentada/
• http://www.brainstorm9.com.br/2008/12/19/realidade-aumentada-augmented-reality/
• http://tarciziosilva.com.br/blog/realidade-aumentada-e-publicidade-saiba-tudo-em-31-slides/
• http://www.baixaki.com.br/info/2124-como-funciona-a-realidade-aumentada.htm
• http://quempensaawebfazaweb.com.br/roberto-martini-cubocc.php
• http://www.insulacomunicacao.com.br/appsiphone/presenca/



=)

O CONSUMIDOR E SUAS MULTIMÍDIAS

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

| | | 2 comentários
Muito se tem questionado sobre quais os meios mais adequados para atingir o consumidor moderno. Quais são os veículos que resultam nos maiores impactos e quais deles conferem o melhor resultado e o maior índice de retorno.

Mas antes de qualquer análise, devemos lembrar que o consumidor não é mais o mesmo. Seus hábitos mudaram e com isso, seu comportamento no que se refere a consumo de mídia também mudou.

Diferente de que víamos anos atrás, ele não mais reúne a família em frente à TV para ver o noticiário ou a novela no horário nobre, não lê o jornal pela manhã degustando um belo e tranqüilo café da manhã, não “conversa” com o locutor favorito quando ouve a programação no rádio...

Hoje, o consumidor faz tudo isso junto ao mesmo tempo agora.

A frase parece redundante ou exagerada? Mas esse é o contexto em que o “novo consumidor” está inserido. Agora ele “scanneia” o jornal pela manhã, enquanto recebe no smartphone as atualizações do clima e do trânsito, cruza as informações no GPS e obtém a melhor rota para o escritório. No carro zapeia as emissoras de rádio em busca de notícias, que são mescladas às músicas mais tocadas nas “paradas”. O computador e a internet, antes apenas ferramentas de trabalho, passaram a fazer parte do cotidiano.

Assim, é possível, ao mesmo tempo, navegar na internet, montar planilhas em Excel, ouvir MP3, jogar em rede, criar apresentações em Power Point, assistir TV, ler notícias, participar de fóruns e comunidades, compartilhar dados e ainda fazer uma pesquisa.

Trabalho e lazer não têm mais tempo demarcados e/ou pré-definido. Tudo é uma coisa só. E é em meio a esse conglomerado de apelos que a marca do anunciante tem que aparecer e ganhar destaque. Então, qual a melhor maneira para vencer a luta e obter a tão desejada atenção?

Simples, como afirma o novo posicionamento do Banco Bradesco: presença. Sim, presença! Presença em todas as mídias, em todos os meios a todos os momentos. É como diz o velho ditado “a união faz a força”. É a união dos esforços em mídia que fará o sucesso da campanha. E a esse esforço damos o nome de cross media.

Também conhecido como Marketing 360°, o conceito de cross media consiste basicamente em toda ação simultânea de diferentes mídias – impressa, TV, rádio, cinema, feiras, eventos e Internet - para a promoção de uma mesma campanha, empresa ou produto com o diferencial da utilização da mídia interativa.

Viviane Varandas, diretora de atendimento da Millward Brown do Brasil, explica que o cenário de mídia atual, demanda a prática da comunicação 360 graus em função da fragmentação e da simultaneidade de meios, das novas possibilidades de comunicação e da interação dos consumidores com as novas mídias existentes, especialmente a internet.

Logo, no cross media os esforços de comunicação são destinados a uma gama de veículos, permitindo chegar até o potencial cliente de forma mais diversificada, diminuindo assim os riscos e aumentando as chances de sucesso. Mas é importante salientar que não basta fazer várias peças em diferentes meios, mas sim integrar todas em uma única campanha. Os meios devem estar unidos e percebidos pelo target como complementares e integrados.


=)

_________________

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

| | | 2 comentários
Queria um pouco de estabilidade.
Na verdade, queria muita.
To cansada de vomitar nas montanhas-russas.
Queria a linha horizontal... a tênue e sempre linha do horizonte...

(suspiro)