O CONSUMIDOR E SUAS MULTIMÍDIAS

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

| | |
Muito se tem questionado sobre quais os meios mais adequados para atingir o consumidor moderno. Quais são os veículos que resultam nos maiores impactos e quais deles conferem o melhor resultado e o maior índice de retorno.

Mas antes de qualquer análise, devemos lembrar que o consumidor não é mais o mesmo. Seus hábitos mudaram e com isso, seu comportamento no que se refere a consumo de mídia também mudou.

Diferente de que víamos anos atrás, ele não mais reúne a família em frente à TV para ver o noticiário ou a novela no horário nobre, não lê o jornal pela manhã degustando um belo e tranqüilo café da manhã, não “conversa” com o locutor favorito quando ouve a programação no rádio...

Hoje, o consumidor faz tudo isso junto ao mesmo tempo agora.

A frase parece redundante ou exagerada? Mas esse é o contexto em que o “novo consumidor” está inserido. Agora ele “scanneia” o jornal pela manhã, enquanto recebe no smartphone as atualizações do clima e do trânsito, cruza as informações no GPS e obtém a melhor rota para o escritório. No carro zapeia as emissoras de rádio em busca de notícias, que são mescladas às músicas mais tocadas nas “paradas”. O computador e a internet, antes apenas ferramentas de trabalho, passaram a fazer parte do cotidiano.

Assim, é possível, ao mesmo tempo, navegar na internet, montar planilhas em Excel, ouvir MP3, jogar em rede, criar apresentações em Power Point, assistir TV, ler notícias, participar de fóruns e comunidades, compartilhar dados e ainda fazer uma pesquisa.

Trabalho e lazer não têm mais tempo demarcados e/ou pré-definido. Tudo é uma coisa só. E é em meio a esse conglomerado de apelos que a marca do anunciante tem que aparecer e ganhar destaque. Então, qual a melhor maneira para vencer a luta e obter a tão desejada atenção?

Simples, como afirma o novo posicionamento do Banco Bradesco: presença. Sim, presença! Presença em todas as mídias, em todos os meios a todos os momentos. É como diz o velho ditado “a união faz a força”. É a união dos esforços em mídia que fará o sucesso da campanha. E a esse esforço damos o nome de cross media.

Também conhecido como Marketing 360°, o conceito de cross media consiste basicamente em toda ação simultânea de diferentes mídias – impressa, TV, rádio, cinema, feiras, eventos e Internet - para a promoção de uma mesma campanha, empresa ou produto com o diferencial da utilização da mídia interativa.

Viviane Varandas, diretora de atendimento da Millward Brown do Brasil, explica que o cenário de mídia atual, demanda a prática da comunicação 360 graus em função da fragmentação e da simultaneidade de meios, das novas possibilidades de comunicação e da interação dos consumidores com as novas mídias existentes, especialmente a internet.

Logo, no cross media os esforços de comunicação são destinados a uma gama de veículos, permitindo chegar até o potencial cliente de forma mais diversificada, diminuindo assim os riscos e aumentando as chances de sucesso. Mas é importante salientar que não basta fazer várias peças em diferentes meios, mas sim integrar todas em uma única campanha. Os meios devem estar unidos e percebidos pelo target como complementares e integrados.


=)

2 comentários:

_TaTHa_ disse...

Nota mental: embora esse texto seja extremamente técnico e não convem com o princio do blog. Tenho meus motivos para postá-lo aqui.
Abusei um pouquinho do espaço e espero que vocês me compreendam.

=)

A Palavra Mágica disse...

Tatha,

As coisas me vêm à mente como um flash, depois tenho que escolher as palavras para escrever, por isso talvez este seja um comentário um pouco extenso. Desculpe.

Vamos ao seu texto técnico. Ele é pertinente. Já que você falou da mídia, eu destaco o que escreveu: "a união faz a força". Acho que todos nós já brincamos dizendo que "a união faz o açúcar". Outra citação sua: "presença". Pois bem, a mídia está presente em vários lugares ao mesmo tempo. Não sei se você vem acompanhando, mas há algum tempo falta açúcar União no mercado. Mesmo nas grandes redes o estoque é baixo, sabe porque? Sim, você sabe! Estão mandando o açúcar para outros países. Não só o açúcar, mas também o álcool. Olha esse slogan "carro a álcool, você ainda vai ter um." Para que agora um carro movido com esse combustível? É quase o preço da gasolina.

Concordo com a idéia do cross media, mas não adianta fazer comercial do açúcar citado acima, para deixar-nos com água na boca e engordar os bolsos dos produtores com a venda desse produto lá fora.

Voltando a falar da presença, é bom ter a sua presença com seus motivos para o post. Afinal aqui está Todo Pensamento do Universo.

Um beijo!
Alcides