A MEIA LUZ

segunda-feira, 4 de abril de 2016

| | |


Era uma terça-feira qualquer, estava bastante ocupado na empresa naquela tarde. Havia visitado alguns clientes e estava fazendo o checklist e finalizando os pedidos no sistema antes de encerrar o dia, quando chega um SMS: “Podemos nos ver hoje? Queria entregar-lhe um presente. Podemos pedir uma pizza? Que tal as 20h?”
O que será que ela queria? Nunca me mandara SMS parecido. Confesso que fiquei curioso para saber o que eu receberia e, alem do mais, a companhia dela seria muito agradável depois de um dia tão exaustivo. Então respondi: “Às 20h na minha casa. Estarei esperando-a. Já comprei seu vinho favorito”
Cheguei em casa muito cansado, e ao mesmo tempo bastante ansioso, queria vê-la. E queria saber o que era o presente. Tomei um banho quente para relaxar, vesti uma pólo, um jeans, calcei um sapatenis e esperei pela chegada dela.
Passado alguns minutos das 20h, o interfone toca.
Quando abri a porta, fiquei boquiaberto, ela estava linda... Um vestido preto com alguns botões, levemente maquiada e um perfume encantador.... Mas o olhar... ah, o olhar.... aquele olhar....
Convidei-a para entrar, abrimos o vinho enquanto aguardávamos a pizza chegar, Uma taça ali, outra acolá. A conversa fluía agradavelmente. Ríamos. Estávamos nos divertindo. Foi um jantar muito agradável. E ela estava linda, eu estava ainda mais encantado. Queria beijá-la, queria abraçá-la, queria tê-la.
Ela se levantou, começou a retirar os pratos e as taças da mesa. Eu estava ali, fumando, relaxando, só observando-a, quando dei por mim que ela poderia ir embora a qualquer momento. De repente senti uma angustia, meu coração disparou...
Levantei-me rapidamente, fui até a cozinha, peguei-a em meus braços e a beijei. Beijei-a com tamanha paixão, com desejo... Ah, e ela correspondeu!
A alegria tomou conta de mim, era uma sensação muito prazerosa, uma felicidade sem limites.

Abracei-a e fui conduzindo-a até meu quarto. Apenas as luminárias estavam acesas. Ela desabotoou o vestido, abriu-o, exibindo todas as suas belas curvas. Ela estava ali, nua, branca e linda só pra mim.


=)

2 comentários:

A Palavra Mágica disse...

Lindo TaTha!

Um conto sensual, atraente e interessante.

Beijo meu!
Alcides

António Jesus Batalha disse...

Estou a tentar visitar todos os seguidores do Peregrino E Servo, pois por uma acção do google meu perfil sumiu e estava a seguir o seu blog sem foto e agora tive de voltar a seguir, com outra foto. Aproveito para deixar um fraterno abraço e muita paz e saúde.
António Batalha.