Crise de loucura

sexta-feira, 20 de junho de 2008

| | |
Já passa da meia-noite e só o tique-taque do relógio quebra o silêncio do meu quarto.
Em meio a risos e vozes posso me lembrar daquela festa, a noite passada.
Às vezes é fácil olhar no espelho e fingir que está tudo bem, mas o difícil é saber que ninguém virá para me dar abrigo. Olho para o teto e as coisas parecem girar. Não dá para resistir, preciso gritar:
-Será que ninguém pode me ajudar?
Um carro passa na rua e parece que vem em minha direção. Abro a janela e vejo uma tempestade se aproximando. Ouço o barulho do vento.
Vejo monstros e ninguém está aqui para me dar abrigo. Preciso lutar sozinho.
Que venham todos então! "Eu não posso vencer, mas posso ser forte!"
O quarto parece um campo de batalha. Fujo de um canto a outro buscando uma posição de ataque.
Ponho fogo nas cortinas para impedir que o inimigo se aproxime.
Ouço vozes lá fora, pessoas tentando arrombar a porta.
O teto parece estar desabando. Eu não quero morrer entre os escombros.
Chega o Corpo de Bombeiros e me afastam do local do incêndio.
Começo a gritar - Não! Eu não quero abandonar a batalha...
Já não posso fazer mais nada.
Estou preso numa camisa de força, vivendo mais uma crise de loucura.

2 comentários:

Lunatiquices disse...

Amei o texto...a gente bota fogo as vezes em várias coisas, mas em pensamento, assim, como tb vivemos em uma camisa de força tentando nos soltar...Obrigada por mais esse! Beijocas!

luiz henrique dias disse...

LOUCO QUEM EU??????
SOMOS TODOS LOUCOS????
O QUE SERIA DOS LOUCOS SE TODOS FOSSEM NORMAIS??????
HEHEHE
BJO