Porto Alegre

sexta-feira, 6 de junho de 2008

| | |
Ir pra lá buscar meu norte
Num golpe de sorte chegar ao extremo
A nado ou de remo
Depois descansar tranqüilo
Num porto seguro.
Ir para não sei onde
Num golpe de sorte
Derrubar o forte em que te escondes
Chegar perto do farol
E perder o medo do escuro.
Trazendo um pouco de alegria
Perto do porto o navio passa e apita
Querendo deixar tudo para trás
E ancorar no cais.
Cansado de tanto mar
Chego para conjugar
Em primeira pessoa
O verbo amar.

0 comentários: