Moacir (Literatura de Cordel)

quinta-feira, 20 de março de 2008

| | |
Uma breve introdução sobre o Cordel:
Forma: Composto por sextilhas, cada verso tem sete sílabas poéticas (não gramaticais!).
História: Veio de Portugal, na época dos trovadores, e foi (e é) difundido pelos sertanejos nordestinos.
O que segue abaixo é a minha primeira composição dentro dessa característica de Cordel.

Moacir

Uma história especial
Agora eu vou contar
Minha vida ali mudou
E é facil acreditar
E de forma resumida
Vou tentar me explicar

Conheci um rapazinho
Cujo nome é Moacir
Na festa de uma amiga
Lá eu não queria ir
Mas, danada, minha irma
Convenceu-me a sair

A festa estava boa
Mas quieta ali fiquei
Sentada em almofadas
Uma, duas eu tomei
Foi quando, irreverente,
Seu olhar então mirei

Lá estava Moacir
Muito pertinho de mim
Quando vi sua boca linda
Já sabia, pois, meu fim!
O meu nome perguntou
Parecia um querubim!

Moacir, que coisa linda!
Esse nome eu decorei
Parecia uma coisa
Pegajosa que nem sei!
Dia e noite, noite e dia
Moacir, agora eu sei

Que tu eras meu querido
Que tu eras o meu bem
Eu te fiz uma canção
Pra ficar até o além
Moacir, meu coração
Não era de mais ninguém!

E um dia já no auge,
bem no auge desse amor,
Escrevia-lhe um poema
Que lhe desse toda a cor
Do que então eu sentia
Até ver aquela flor...

Uma moça tão trigueira
Ao lado do meu querido
Vi de longe, sem querer
Preferia ter morrido!
Ao ver cena tão cruel
Coração ficou partido!

Moacir, porque não morres!
E te vas co´essa menina?
Eu me pondo a lamentar
A saudade me alucina!
Minha vida é chorar
Ao pensar nessa cretina!

Quem me fez de idiota
Uma boba de dar dó!
Alisava seus cabelos
Enquanto eu dava nó
Na tua meia furada
Cosia teu paletó!

Vai-te agora, Moacir!
E não venha mais me ver!
Tuas coisas já mandei
E não quero sem saber!
Sentimentos eu nem sei
To cansada de sofrer!

2 comentários:

Flávia Fabri Cesário disse...

Que lindinho!!!!
Adorei a história! E o ritmo tá uma delícia de ler!
Parabéns! Para uma marinheira de primeira viagem...estupendo!
rsrs
Beijos!

Alcides disse...

Bravo! Bravíssimo!!!

O nome Moacir, acho que é tupi e singnifica: Aquele que faz sofrer.Perfeito o final do poema!

O que faz uma moça de linhagem grega, moradora em uma megalópole escrever literatura de cordel, que é difundida no nordeste do país?

A resposta é simples: inspiração, capacidade, sentimento, espontaneidade, coragem etc e tal.

Parabéns!

Alcides