Autobiografia do que eu não fui

domingo, 20 de julho de 2008

| | |
Seria bom se meu pai fosse bom
E não viviesse a se embebedar.
Bom se eu tivesse mãe,
Não uma madrasta para me surrar.
Seria bom se eu fosse uma criança feliz
E vivesse brincando em vez de trabalhar
Bom se eu pudesse estudar
E não ter de roubar para me sustentar.
E quando eu cresci um pouco mais
Queria encontrar a garota perfeita
Que prometesse sempre me amar.
Queria passar momentos felizes,
Queria encontrar o amor,
Mas minhas noites foram com meretrizes.
Nenhum prazer, apenas dor.
Gostaria de ser direito
Trabalhar, ter um cargo de respeito.
Gostaria de ter me casado.
Ter casa, mulher e filhos,
Não viver abandonado
Vendo a vida me jogar de lado.
Caído nesta sarjeta
Vejo a rua cheia de gente
E meus sonhos vão além...
Gostaria de falar com alguém,
Mas ninguém poderia me entender.
Então só me resta uma saída:
Beber mais um pouco pra esquecer.

2 comentários:

Cris disse...

É como a letra de Epitáfio, do Titãs

"Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais
E até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer...
Devia ter me importado menos
Com problemas pequenos
Ter morrido de amor..."

Em resumo, queria ter feito, queria ter sentido, queria ter ido, queria ter arriscado, queria ter VIVIDO!

Excelente essa reflexão!
Que possamos refletir sobre tudo o que nos poda de fazermos o que gostaríamos, de sermos quem somos, de sermos FELIZES!!

Beijos!!

Lunatiquices disse...

A realidade as vezes não é o que queremos...e dizem que querer é poder...beijocas!