O medo de amar é o medo de ser livre

quarta-feira, 16 de julho de 2008

| | |
Composição: Beto guedes/Fernando Brant
O medo de amar é o medo de ser
Livre para o que der e vier
Livre para sempre estar onde o justo estiver
O medo de amar é o medo de ter
De a todo momento escolher
Com acerto e precisão a melhor direção
O sol levantou mais cedo e quis
Em nossa casa fechada entrar
Pra ficar
O medo de amar é não arriscar
Esperando que façam por nós
O que é nosso dever: recusar o poder
O sol levantou mais cedo e cegou
O medo nos olhos de quem foi ver
Tanta luz

3 comentários:

Cris disse...

"O medo de amar é o medo de ser livre" - o que fazer com tanta liberdade? Se eu puder fazer o que quiser, farei o que? A liberdade é meio que um abismo. Ter de fazer escolhas exige autenticidade. Nao arriscar é não experimentar a vida, suas infinitas possibilidades. É recusar-se a sentir, a saborear, a experimentar-se, a ser. O Sol que cega o medo nos olhos de quem foi ver é a Coragem! O Sol é a nossa Coragem.
Amar exige isso!

Muito rico esse texto!

beijos!

Lunatiquices disse...

Este texto só mostra que quando temos a liberdade nas mãos ou não percebemos ou não sabemos o que fazer...sem perceber, vc soube o que fazer...Beijocas!

Ivan Santos disse...

Lindíssima letra, sente-se como o vento de Minas, batendo no rosto.

Beto Guedes, só conhece, quem sabe!

Eu, navegante, vagabundo e Internauta

Desculpe invadir tua praia, mas foi irresistível.