Vem!

segunda-feira, 28 de abril de 2008

| | |
De manhã cedo reguei as plantas
Tomei cuidado com a água parada.
Troquei continas, abri janelas
Deixei o sol aquecer toda a casa.
Comprei roupa nova e outro perfume.
Liguei o som alto.
Ouvindo sua música
Abracei o meu corpo e dancei.

Cai a tarde, as horas avançam
Uma esperança ou vontade ou saudade me invade e me excita
E eu que não sei cozinhar
Preparo um belo jantar.
Vejo no céu a primeira estrela
E algo em mim se agita.
Sinto que você já vem
Então é hora de abrir as portas
E meus braços também.


Poema inspirado em uma menina que espera seu namorado e eu tenho certeza que ele chegará e eles serão muito felizes, como tem que ser os grandes amores.

4 comentários:

Cris disse...

Que bacana essa coisa de preparar-se para alguém, dos detalhes do cotidiano, da vista da primeira estrela (!!!). O tempo passa e seu corpo se agita à medida em que esse evento esperado se aproxima.

Que riqueza! Muito, muito bom!

Flávia Fabri Cesário disse...

Eu me vi neste poema! Eu não procuro mais. Espero cuidando do meu jardim. Fantástico!
Adorei :)

_TaTHa_ disse...

O amor abre nossos olhos para coisa simples, exalamos felicidade...
Os olhos bilham, o sorriso estapado de orelha a orelha, o céu é belo, a estrela, a árvore...
Oh estado de êxtase.

Bjo
=)

Lunatiquices disse...

Identificação...rs...só. Beijocas!