Estudantes brasileiros lêem 7,2 livros ao ano

quarta-feira, 28 de maio de 2008

| | |
Pesquisa Retratos da Leitura, feita pelo Instituto Pró-Livro, que será divulgada nesta quarta-feira (28) em Brasília, aponta que os estudantes brasileiros lêem 7,2 livros por ano, mas 5,5 deles são didáticos ou indicados pela escola. Apenas 1,7 livro é lido por vontade e escolha própria.

Foi a primeira vez que os hábitos de leitura dos alunos de todas as idades foram analisados no Brasil.

A quantidade de livros aumenta conforme a classe social, a escolaridade e a região onde vivem. Entre os que ganham mais de 10 salários mínimos, por exemplo, são 5,3 livros por ano, sem contar os didáticos. O índice é próximo dos registrados em outros países, como Espanha (5 livros por ano) ou Argentina (5,8). Na França, são mais de 7. Já na Região Norte do Brasil, praticamente só se lê o que a escola pede.

http://www.ccsp.com.br/ultimas/noticia.php?id=32044

3 comentários:

Flávia Fabri Cesário disse...

Não há incentivo à leitura em escolas públicas. Quando estudava em colégio particular, na pré-escola, os professores indicavam livros para aplicação de provas e também outros títulos para lermos aos finais de semana. As professoras costumavam contar histórias relativas ao livro, assim chamavam a atenção do aluno e os faziam ler. Quando fui estudar em escola pública, nem livros didáticos eram recomendados. Senti uma falta tremenda disso. Pedia pro meu pai comprar por conta própria.
O hábito da leitura deve iniciar-se deste o início da alfabetização da criança. Tento fazer isso com minha prima de 10 anos. Compro livros infantis, revistas em quadrinhos, revistas... no começo ela não gostava, mas agora não fica sem!
Beijos! :)

Alcides disse...

Tatha,

Muito boa a matéria, porém faltou a fonte informar , do 1,7, que segmento de livro é: religioso, auto-ajuda, sócio-político etc.
Agora, se quanto mais alta for a classe econômica, mais se lê, então se lê bem pouco.Você viu na mão de quantos brasileiros está concentrada a maior parte da renda?
Algumas bibliotecas estão sendo desativadas por falta de público leitor. Acho que o que falta, realmente, é mais investimento em marketing, porém é preferível brigar pela veiculação de comercial de cerveja. Ou, como diria o Humberto Gessinger: "A juventude é uma banda numa propaganda de refrigerantes".
Um beijo!
Alcides

_TaTHa_ disse...

Alcides...

Não faltou informar a fonte não, não.É o link que está na ultima linha do texto...rs
Quanto ao incentivo a leitura, concordo plenamente com você. Falta sim investimento, na realidade falta hábito e mudar comportamento humano é uma tarefa longa e ardua.
Bjo
=)