Sem Reservas

sexta-feira, 9 de maio de 2008

| | |
Muito bem.
Hoje tá estranho.
Ontem eu dormi cedo por falta de ter o que fazer. Acordei cedo e, ainda, sem ter o que fazer...
Sozinha em casa, fiquei assistindo a um filme (pela 99ª vez): Sem Reservas.
To sem assunto também. Então, vou falar um pouco sobre o filme: Kate (Kathy Z-Jhones) é uma chef de cozinha exemplar. Uma das melhores da cidade. Leva uma vida cheia de regras e muito bem planejada. Seu assunto favorito é trabalho. Faz terapia por imposição de sua chefe. Mas não consegue perceber a si mesma. Tudo o que Kate enxerga é trabalho.
Até que por fatalidade, sua irmã morre e Kate se vê com a tutela da sobrinha, Zoe. Esta, aos poucos, vai desafiando Kate a lidar com a parte emocional, além de tirar-lhe toda a rotina e trazer-lhe novas preocupações. Kate começa a enxergar vida fora de sua caixa.
Em seguida, vem a fantástica figura: Nick- chef substituto de Kate no restaurante. Esse é o personagem de quem mais gosto. Ele, aos poucos, com a ajuda de Zoe, vai questionando uma a uma as verdades de Kate. Ela vai se tornando mais maleável, mais humana.

Enfim, é basicamente isso. Muito intrigante me parece o título: Sem Reservas. No caso do filme, como o ambiente é um restaurante, pergunta-se em alguns momentos: "O senhor tem reserva?". Mas, no contexto, conforme Kate vai se envolvendo com Zoe e Nick, ela passa a revelar-se a eles. Os três viram cúmplices. Sem reservas um para com o outro. Nota: Ela vai se revelando, se deixando amar à medida em que os dois vão se mostrando a ela, sem máscaras, com transparência. Uma vez li: " à medida que sou, permito que o outro seja". Nem lembro de quem é a frase. Talvez seja até minha - oriunda de alguma reflexão, claro.

Legal essa coisa de ser e deixar ser. Mostrar-se, auto-exposição.

Jesus se mostrou aos seus discípulos tal como era - sem reservas. Parece bom ser assim.
Contudo, parafraseando Nietzsche: " a auto-exposição é o prelúdio da traição". Sim, Jesus foi traído.

Ok, amigos. Isso aqui já me parece um confessionário. Alguém poderia dissertar mais a respeito de reservas e auto-exposição?

Fica o convite a vocês.

Beijos a todos!

5 comentários:

_TaTHa_ disse...

Ae... sua FEIA!!!
Primeiro q o layout do blog está mais leve, mais limpo, ficou melhor assim. Parabéns.
Segundo: a sua provocação
1. q o filme é lindo. Me identifico muuuuito. Workahoolic? Sim, algo contra? Isso é fruto daqueles que AMAM realmente aquilo que fazem e eu VIVO a minha profissão 24h/dia. Tem um preço isso, mas isso é outro assunto.
2. q eu sou o ser mais auto-exposto da galaxia....rs.Resultado vc é transparente, mostra aos outros, mesmo sem querer (é o meu caso) as suas intenções e acaba sendo presa facil.
Pensando bem... q vantagem eu levo em ser mascarada?
Posso ganhar algum ptinho ali, outro acola, ludibriar um carinha gostosaum da balada, mas só. Ao passo que posso torna-me não-confiável, não é mesmo?
É por os prós e os contras na balança.
Bjo
=)

_TaTHa_ disse...

Caraca... me empolguei...

Luis disse...

Jesus foi traido ... Nietzsche se suicidou ... Judas, o traidor também ... tou vendo que a maluquice vai loooonge ...

Alcides disse...

"à medida que sou, permito que o outro seja". Essa frase, emblemática, explica toda a dissertação.Para endossar ainda mais aparece Nietzsche, isso é covardia.

"Fazer da minha vida sempre o meu passeio público/E ao mesmo tempo fazer dela o meu caminho só complicou." Isso explicaria a traição de Judas?

Se você ainda não leu, leia o livro "1984" do George Orwell. "Big Brother is watching you."

Beijos!
Alcides

Cris disse...

Muito bem. Vamos à replica:

Tatha:Sobre o Layout, eu estava mesmo numa fase meio dark quando escolhi a cor preta. Agora sinto que essa nuvem tah indo embora...hora de começar a mudar algumas coisas.

Sobre ser workaholic: nenhum extremo é bom. Nenhum. Think about it.

Usar máscaras pode ser estratégico: "sejam simples como as pombas, mas astutos como as serpentes" ( tah na bíblia, mas não lembro em que livro...). Ou seja, às vezes pode ser sábio. Estar ou ser sem reservas deixa frágil e vulnerável...isso pode ser bastante complicado.

E não, vc não se empolgou. Esperava até mais. (brincadeirinha! tá ótimo!! rs)

Luiiiiiiiiiiiis: poste o endereço do seu blog! :-)

Alcides: Carinha, vc deu um nó na minha cabeça! "Fazer da minha vida sempre o meu passeio público/E ao mesmo tempo fazer dela o meu caminho só complicou." UAU! Já tenho o que fazer nas férias!! rsrs

Sim, vou ler o 1984 pela sua recomendação.

Beijos a todos!